sexta-feira, dezembro 24, 2010

Ah... O Natal





O Natal. Essa festa linda em que lembramos do nascimento... Epa! Peraí! Quem inventou que o Natal tem a ver com Jesus? Aliás, o Natal é a pior coisa que fizeram com a história de Jesus. Usam o seu nascimento para legalizar uma festa pagã!

Mas não estou aqui para discutir isso. Vim para falar com vocês sobre o Verdadeiro Sentido do Natal (parece até nome de livro do Dan Brown), os presentes e a comilança. Ou a comilança e os presentes. Depende do que vem primeiro na sua casa.

A comilança, como o nome já diz, é aquela parte da festa que é regada de comida. Às vezes é só sua mãe que faz, às vezes os vizinhos, parentes e amigos trazem. E fica aquela mesa linda, cheia de coisas que você não tem ideia do que foram feitas. Eu, por exemplo, só fui saber o que era Tender, ontem! É presunto, se você não sabe.

Outra coisa: quem inventou que panettone (com dois t's) é bom?! Tudo bem, até tem a massa que é macia, dependendo da marca que você comprou, mas o que é aquilo tudo dentro do panettone? Eu já achei uvas passas, que não são tão difíceis de reconhecer, mas e o resto? Devem ser frutas que não podiam ser vendidas por problemas de transporte que deixaram marcas.

E frutas que você fica um ano inteiro sem ver, até que aparecem, do nada, na sua mesa! Quem, por favor, come nozes antes do final de ano? Em junho, alguém lembra que aquilo existe?! Outra coisa que tem aqui é algo que esqueci o nome. Perguntei ao meu pai o que era aquilo. Resposta: "Sei não..." ¬¬ Ele come isso com a maior vontade!

E ainda tem os presentes. Esses sim são o que move o Natal. Dias antes da data preferida dos lojistas, as ruas estão um caos. Pessoas nervosas, querendo comprar "havaianas que brilham no escuro pro meu sobrinho", "aquele carrinho de controle remoto pro Luizinho" e "acho que esse par de meias está bom pro meu pai."

Todo mundo só pensa em gastar, para poder chegar em casa e falar:
- Não, Flavinho. O papai noel vai trazer o seu presente só depois de meia noite.

Por que vocês jogam tudo em cima do papai noel? O cara mora lá em cima do mundo e tem que rodar o mundo todo pra entregar presentes? E quando ele não dá o que vocês querem, já ficam nervosinhos, reclamando, dizendo que o bom velhinho não é assim tão bom.

Eu soube que esse ano o papai noel já entregou os presentes antecipados, para os pais de vocês. Se algo vier errado, foi seu pai que trocou, não o papai noel.

Enfim! Esse aí, pra mim, é o verdadeiro sentido do Natal. Uma festa sem sentido que só existe pra gastar dinheiro e exercitar a hipocrisia coletiva.

Não, não estou revoltado nem nada assim. Só estou falando a verdade. Pra vocês, um feliz natal.

P.S.: Os presentes, esse ano, virão assim:

terça-feira, dezembro 21, 2010

Acontece no Ministério da Fazenda - RJ

Transcrição: "Aqui existia uma pomba da paz que infelizmente foi-nos subtraída neste fim de semana..."

E eu pensei que estivesse seguro por aqui.

Boas festas e muita pomba da paz em 2011.

segunda-feira, novembro 22, 2010

#DiadoMusico

Beleza, hein. Jóinha! Supimpa! Hoje é Dia do Músico!

Após ler todas as homenagens no twitter, decidi escrever alguma coisa. Escreverei, mas não agora. Por enquanto, fiquem com um exemplo de boa música.




Me sigam no twitter. \o/

quarta-feira, novembro 17, 2010

Como uma dor de ouvido pode acabar com o seu dia

Tudo começou nessa terça-feira. Estava trabalhando e, não me lembro como, meu ouvido começou a doer. Sendo que eu nunca tive dor de ouvido e não sabia como agir diante de tamanho sofrimento.

Podem me chamar de fresco, fraco ou seja lá o que for, mas não é fácil.

Na hora de ir embora, pegar o trem, coloquei o fone no ouvido e, infelizmente, não aguentava ouvir minhas músicas selecionadas para a viagem. Fiquei triste. Tinha um caminho longo pela frente. Queria minhas músicas para poder ler meu livro. Então troquei de fone e ouvi as músicas apenas com o ouvido direito.

Cheguei à estação de destino, com o ouvido mais pra lá que pra cá, e fui em direção a certo curso, entregar alguns itens críticos para uma amiga. Meu ouvido só piorava.

Conversamos, rimos, andamos de ônibus e eu fui para minha casa. Estava crente que apenas deitaria e dormiria. Meu ouvido melhoraria com o sono.

Enganado estava. Desenganado fiquei. Meu ouvido só piorou! Lanças fulminantes atacavam meu aparelho auditivo. O mundo não era mais um lugar legal para ficar. Queria fugir, dormir, sonhar! Mas meu ouvido não quis deixar.

Dra. Vera, também conhecida como Minha Mãe, encontrou uma solução rápida, mas não definitiva, para o problema. Era um tal "remédio que tua irmã usa". Funcionou bem. Até umas 4h da manhã. Levantei, coloquei mais "remédio que tua irmã usa" e voltei a dormir.

Acordei, novamente, para ir trabalhar. Refiz o "curativo" e parti para o labor.

Tudo rolou normalmente até de tarde, excetuando-se o fato de quase não conseguir abrir a boca para almoçar. Então, voltou tudo novamente. Uma onda de dor sufocante, que deixava minha boca seca e meus estômago vazio. Acho que você pode imaginar o motivo da fome.

Tudo dizia que minha audição iria parar por ali. Meu ouvido iria estourar. Eu seria obrigado a ouvir somente com o ouvido direito. Então encontrei um salvação! Temporária, novamente.

No meu trabalho tem um núcleo médico (que chique). Mas o problema já começou na recepção:

- Oi. Estou com uma dor no ouvido. Com quem eu posso falar?
- Olha... a gente não tem aparelho para ver o ouvido. Mas eu vou falar com o doutor para ver o que dá pra fazer.

Então lá foi a moça, falar com o médico. Ele me chamou e falou "Eu não posso fazer nada pra te ajudar. Só te dar um Tylenol". E foi assim que a dor parou novamente.

Tudo ia bem até eu chegar em casa. No caminho já sentia as pontadas, mas nada comparado com o que me esperava. Sofri dores incessantes. Parecia uma furadeira dentro do meu ouvido. Quando já estava desistindo de ver meus netos crescendo, minha doutora apareceu com uma solução mais confiável: um anti-inflamatório.

E é nessa base que vos escrevo. Não fiz quase nada durante todo o dia. Locomoções foram as mais básicas (sala-copa-sala). E espero para ver se voltarei a sofrer com os avisos da morte auditiva.

Agora que vocês já sabem como uma dor de ouvido pode acabar com o dia de uma pessoa, saiba como um dia pode ser bom mesmo assim, clique AQUI.

sábado, novembro 06, 2010

Últimos Dias de Outubro

Então, cá estou eu, finalizando o Meme, com este post que deveria ter saído a quase uma semana! Mas, após todo esse tempo ausente, malemolente, recorrente, visitante, amaciante e todos os -ntes que tenho direito, volto para atualizá-los com coisas menos inúteis do que fezes de mosca, assim acredito.

Ah, mas claro, vocês queriam o ANO INTEIRO EM GRANDE DETALHE, né? E não terão. Quase não lembrei do mês, acham que eu lembraria do ano? Mas vai um resumão?

O ano foi muito louco, como todos os outros em que estou presente. Começou bem, de uma forma bem legal, mas meio confusa. Ainda não estava totalmente desempregado, tinha a esperança do tal "projeto", mas nada foi para a frente. Isso, nada!

Tive que arrumar outro emprego, mas aí já era, praticamente, carnaval, que eu passei, na maior parte, em casa.

Enfim, muita coisa mudou. Muita coisa mesmo. Esse foi um ano de mudanças, nem todas boas, aos olhos humanos, mas, como diz naquele livro de capa preta que eu preciso ler mais, todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus. Então estou tranquilo, mesmo que o ano não tenha acabado, nem as mudanças. A vida é feita delas, temos que aproveitar.

Agora, falando do ano que vem, eu já não sei. Ou sei mas não quero falar. É que não gosto de falar dos meus planos antes que possa vê-los concretizados. Mas será um ano...

De AFIRMAÇÃO. De CONFIRMAÇÃO. De CONFINAÇÃO, talvez. =P

A ideia é: todas as mudanças que ocorreram nesse ano, contribuirão para as certificações que virão no próximo.

Virão dificuldades, mas também virão as glórias. Verão virá, mas também o inverno. E a primavera, é claro. E suas flores e cores. Mas, ainda assim, não é definido. E isso é bom, pois não sou eu que tenho o controle do mundo em minhas mãos. Mas será um ano muito bom, um dos melhores, disso eu estou certo.

Esse tipo de post não é para este espaço. Eu o faria no Eis Que Te Falo, é mais a cara dele, mas o Meme foi iniciado aqui e aqui será encerrado.

Como está tudo muito sério, faltando uma piada ou idiotice, aí vai:

Era uma vez uma vaca chamada Vitória. Ela queria destruir a camada de Ozônio...

sexta-feira, outubro 29, 2010

Dia 27 - Este mês em grande detalhe

Eu mal consigo falar da minha semana e vocês querem o mês? Vivam comigo! É mais fácil. Mas, como não tem ninguém julgando isso aqui e eu já fiz muita bagunça nesse meme, não cobrem tantos detalhes assim, primeiro eu tenho que me lembrar em que mês estamos...

Estamos em... Outubro! Mês 10, que não foi, exatamente, dez, tava mais para um oito ou oito e meio. Teve feriado, disso eu lembro, então, aos fatos.

Desse mês eu me lembro que começou numa sexta e só fui receber numa outra sexta. Disso eu me lembro bem. Amo receber na segunda semana do mês. -n Mas não faz diferença, sempre recebo menos do que precisaria para um mês inteiro...

Daí não lembro de mais nada, a não ser de ter pago algumas contas.

Ah, também votei! Não que eu goste taaaaaaanto disso, mas fiz um esforcinho para me lembrar de minhas responsabilidades como um cidadão brasileiro. No final das contas, me lembrei, também, que nada disso faz diferença. Então, continuemos.

Feriado chegou e eu não faço a mínima ideia do que fiz! Eu sei que ganhei um bonsai, como já disse umas vinte vezes, e uma barra de chocolate, como já disse umas cinco. Estou cuidando do bonsai, jaboticaba, e está ficando legal. Folhas verdes, tronco típico das jaboticabas... Espero o dia que brotarem as flores e os frutos. Quanto ao chocolate, já foi esquecido.

Eu sei que nesse mês aconteceram algumas mudanças... Não sei falar muito bem quais foram, mas foram mais internas do que externas.

Fiz merda, fui perdoado. Fizeram merda, perdoei.

Um papo foi se tornando cada vez mais forte e revigorante, íntimo. Um papo com meu Pai.

Lá em casa tá tudo de boa, obrigado por perguntar.

Participei de uma reunião que eu não tinha nada a ver, acrescentei conhecimento aos meus superiores. Aliás, esse mês eu acrescentei conhecimento a muita gente. Não por mim, mas pelo que tive que falar.

Enfim, esqueçam aquela parte ali de "grande detalhe". Substituam por "resumo". Até mais. E os meus últimos posts vos bastam... Por enquanto...

Dia 26 - Sua semana, em grande detalhe

Confesso que enrolei para fazer este post e, por um acaso, ele ficou até mais difícil. Dia 26 foi terça-feira. Como vou falar da minha semana em plena terça?!

Pois ela começou no domingo, que eu não lembro muito bem como foi. Sei que acordei atrasado para ir à igreja (tenho que tomar vergonha na cara...), me arrumei e parti. Ao chegar, quase dei aula ao meu próprio professor, tinha estudado um pouco com a minha mãe. ;-)

De tarde, fui para casa almoçar e tentar descansar. Não me perguntem, não lembro do almoço. Sei que comi, foi bom e não descansei direito. É sério. Logo após almoçar e ver absolutamente nada na televisão, tive que me arrumar e ir para o ensaio que, dessa vez, até que foi produtivo.

Assisti ao culto, prestei atenção no que falavam, toquei, cantei, etc e tal. Então, me despedi de todos e fui para casa de alguma forma que não lembro. Sei que dormi e não lembro mais de nada até ler o último post.

A terça-feira começou no finalzinho da segunda, grudadinha, como era de se esperar. E, a esse horário, começo de terça-feira, eu estava fazendo algo que gosto muito e estava meio raro: conversar com a @La_Creída, autora, atriz, personagem, voz, cheiro e tudo que houver do Querido Diário. E ainda invadiu e foi bem aceita no Eis Que Te Falo.

Do resto da terça, não me lembro mais. Até lembro de algumas coisas: fui a Madureira ver se pegava o certificado do meu curso. A única coisa que peguei foi uma chuva. Quase peguei um resfriado, etc.

De terça para quarta teve o primeiro jogo dos Lakers na temporada 2010/2011 da NBA. Começou 1:30h e terminou 3:00h. Imaginem como foi a quarta-feira...

Foi difícil!
Quarta-feira foi ontem, né? Então, após passar um dia inteiro lutando contra o sono, fui à igreja novamente, ensaiar para cantar no "niver" do meu pastor. (Espere, isso foi antes de ontem... Hoje é sexta.) Então o ensaio não fluiu, mas Deus falou e tudo isso. Decidimos não cantar nada e ainda não sabemos se vamos cantar alguma coisa, entendes?

Quinta-feira, ontem, de verdade, vim trabalhar, como todos os outros dias desde segunda. (sim, eu posto do trabalho)
Passei o dia com sono, como sempre. Quase não trabalhei pois eu sou chefe e mando nessa bagunça! Na verdade não tinha muito trabalho a fazer. Então fui novamente à igreja, toquei contra baixo, minha outra paixão, paguei uma dívida e fui dormir. Na verdade não dormi de primeira, entrei na internet, falei com a La Creída, também conhecida como Thalita, e mais algumas pessoas. Dormi.

Sexta-feira, hoje, acordei num horário legal, tomei banho, lavei os cabelos (mimimi), fiz a barba, ou me desfiz dela, bebi um pouco de café e vim trabalhar. Devidamente vestido, é claro.
Ao chegar no trabalho, me deparei com a preparação para a comemoração do Dia do Servidor. Neste momento, a fome já apertava minhas entranhas.
Esperei, pacientemente, a chegada de todos os envolvidos e pude, graças ao Bom Pai, me alimentar sem frescurices. Bebi bastante refrigerante, abstive-me de bebidas alcoólicas, mesmo que elas sejam proíbidas nesse ambiente, e agora estou comendo azeitona enquanto escrevo isso.

Essa FOI a minha semana até agora. Só Deus sabe o que me é reservado até o final de sábado. O dia está muito estranho, mas com sol. Meu bonsai deve estar melhor =)

terça-feira, outubro 26, 2010

Dia 25 - O seu dia, em grande detalhe

Bem, como o dia 25 foi segunda-feira, esse post vai ter um gostinho melhor, mais difícil de fazer. E eu acho isso legal. Se faltar alguma coisa, não liguem, eu já esqueci. Esqueçam também.

O dia começou difícil, às 8 horas da manhã. Não lembro como, mas minha mãe me "acordou". Claro que eu não lembro como foi, eu estava dormindo! Até a hora do banho...

Após acordar, mais ou menos, levei meu colchão de volta para a cama, peguei minha toalha, alguma roupa e parti para o banheiro.

Tomei meu banho, não darei detalhes disso, não é necessário, por favor.

Coloquei a roupa, correndo, atrasado, e, a essa altura, a TV já estava ligada com as notícias do trânsito. Não me perguntei como ela ligou, também não me lembro.

Provavelmente bebi um copo de café que minha mãe faz enquanto está dormindo, pois, ao acordar, percebo que ela ainda dorme, saí de casa e fui para a estação.

Peguei um trem cheio, como faço todos os dias de manhã, e esperei a chegada à minha estação, a terminal, Centra do Brasil \o/ Sim, aquela do filme. Enquanto esperava, embarcou no trem, em outra estação, uma tia do barulho, armando altas confusões muito louca. Ela disse que já morou na Zona Sul, que não pegaria trem novamente pois era muito cheio... Chegou até a dizer que daria um soco no próximo que a empurrasse pois faz Muay Thai!

Cheguei à Central, desci do trem, peguei o metrô, também lotado, e parti para o trabalho.

Cheguei atrasado, claro. Comi um bolo de cenoura com chocolate e fiquei a maior parte do tempo sem fazer nada. O sono me castigava. Quase dormi no trabalho.

Almocei, voltei e fiz coisas incrivelmente menos interessantes.

Hora de ir embora. Peguei um "frescão", dormi ao lado de uma moça gordinha, não tenho problemas com isso, e fui a um ensaio que quase não andou.

Voltei para casa conversando sobre música, instrumentos e etc, com meu amigo Alex.

Jantei e entrei na internet.

Eu acho...



P.S.: Meu dia não acabou. Eu só fui dormir no dia seguinte. =S

Dia 24 - Seu lugar preferido

Não que eu seja um cara que passeia muito. Não que eu não tenha tempo, o que me falta é o dinheiro. Mas tem lugares que eu gosto. Lugares que já fui e gostei, lugares que ainda vou, etc.

Acredito que o lugar que eu mais gostei, até hoje, foi a Praia Vermelha, na Urca, no Rio de Janeiro. Nunca entrei na água, mas o lugar, em si, é perfeito. Como não encontrei uma imagem que retrate tão bem o lugar, farei uma breve descrição. Seguirei o caminho que eu utilizo, acho mais legal assim.

A princípio você vê uma praça, com uns "laguinhos", estátua(s), caminhos, gramado e tudo o mais que você vê numa praça, como pessoas conversando, cachorros namorando, crianças se sujando, etc.

Ao lado esquerdo há um prédio, bem grande, com pessoas que tem uma conta bem grande. Não é nada tão "boniiiiiito" para mim. É mais figuração do que personagem.

Ao lado direito, a entrada do bondinho, lugar que já entrei mas nunca utilizei. Mas não é o que há de melhor na praia. Está mais para um coadjuvante.

Então, seguimos andando, por um dos caminhos da praça. Atravessamos a rua e chegamos ao "meu" lugar. Outra "praça"(?), mas com muitas árvores de vários tipos, uma estátua, que eu descobri hoje que é de Chopin, e uma vista perfeita em direção ao mar.

A brisa bate no rosto como se estivesse sussurando, recebendo seus visitantes. O som das águas é como uma música que toca sem parar. O aroma é libertador...

É um lugar perfeito para visitar no fim do dia e esperar anoitecer. As cores vão se transformando até onde podem. A lua, nascendo, derrama, sobre a água, seu reflexo, como longos cabelos brancos. Os morros que circundam o lugar, envolvem seus espectadores como uma mãe abraçando o filho.

As estrelas brilham de forma diferente, tudo é diferente, tudo é perfeito! Não sei, ainda, se pelo local ou pela companhia.

Mas o que importa é que eu AMO a Praia Vermelha.

Dia 23 - Um vídeo do Youtube

Esse vídeo me encantou desde a primeira vez que o vi, então, compartilho com vocês:


Dia 22 - Um site

Cada vez menos eu entendo esse meme! Agora eles me pedem um site! Isso é um meme para twitter? Então fiz tudo errado. Mas, já que comecei, continuemos...

É difícil, para um cara que quase "vive" na internet, escolher um site. Mas vou indicá-los a visitar um dos que tenho utilizado ultimamente. E aproveitem que não é Orkut, nem Facebook, nem Twitter, muito menos Badoo.

Visite o Mundo UP!

segunda-feira, outubro 25, 2010

Dia 21 - Uma receita

Eu queria, e muito, postar uma receita que eu tivesse feito, como na do bolinho de chuva que deu mais ou menos certo. Mas, como faz tempo que eu não vou à cozinha sem que seja para buscar comida, bebida e meu cachorro maluco, resolvi colocar para vocês, que são leitores modernos e abertos a nova sugestões, algo que me assustou e que, provavelmente, nunca comerei. Mas é interessante, pela ideia... a ideia de fazer besteira na cozinha.

Estava eu, na copa do meu trabalho, comendo alguma besteira qualquer e vendo televisão. Como no horário que eu como não tem nada de bom, estava vendo o programa daquele careca que tem a "Receita Minuto". E, acredito eu, com uma ideia de juntar a ida à cozinha com dia das crianças, ele anunciou: "E amanhã eu vou ensinar como se faz SALAME DE CHOCOLATE!"

Eu parei tudo que estava fazendo (comer) e quase chorei com o insulto à boa culinária. Mas como eu já não estou respeitando mais nada nesse blog, lá vai.

Você vai precisar de:
  • 500 gramas de biscoito maisena (que é tão bom que você pode precisar de mais);
  • 1 lata de leite condensado (se você não tiver problemas com glicose, pode pedir mais uma para comer com os biscoitos remanescentes);
  • 2 xícaras de chá de chocolate em pó (que também dá pra misturar ali em cima...);
  • 2 colheres de sopa de conhaque (cuidado nessa parte aí, pode desandar tudo...);
  • 1 1/2 xícara de chá de manteiga derretida (isso é bom em um pão...);
  • 1 xícara de chá de amêndoas inteira com pele (insira o seu texto aqui);
  • 2/3 xícara de chá de uvas passas pretas sem caroço (isso é tão bão *-*).
Agora é a cobertura:
  • 1/2 xícara de chá de chocolate em pó;
  • 4 colheres de sopa, cheias, de manteiga mole (isso vai dar uma mistura estranha...)
Aos marmanjos: onde eu escrevi "de sopa", "de chá" e coisas do tipo, é só uma unidade de medida. Não procure sopa de conhaque no supermercado. Você não encontrará.

No site onde eu achei a receita, tem, abaixo dos ingredientes, publicidade. Mas eu não postarei aqui pois acredito na irrelevância de tal item.

Para fazer é assim:

Quebre o biscoito em 4 pedaços, coloque numa vasilha com o chocolate, o conhaque, o leite condensado e mande pra dentro a manteiga derretida.

Misture tudo, fazendo bolas e apertando com as mãos. Acrescente, neste momento, as amêndoas e as passas. Enrole até ficar como um salame (você sabe como é) e leve ao freezer até endurecer. Ui.

A cobertura você faz com os ingredientes restantes, misturando tudo até virar uma pasta. Sem levar ao fogo, por favor. Depois você tira o rolo do freezer e espalha a cobertura.

Leve tudo, novamente, ao freezer, cobrindo com papel filme. (E eu pensando que ia assar isso tudo...)

Quando for servir, retire e deixe de lado por uns 10 minutos. Sirva com sorvete de creme, ou morango, ou qualquer um que a frutinha possa preferir.

Quando fizer, por favor, por tudo que você ama, se você preza nossa amizade, NÃO me chame!

Receira retirada do Mundo de Sabores.

Só não insulte minha mãe.

Dia 20 - Um hobby

Após longas eras, retorno para dar-lhes meus estímulos visuais que afetarão seus cérebros com nada mais que inutilidade. Ou não... E para continuar com essa brincadeira toda boa, vamos ao post de quarta-feira próxima passada, como diria o senhor meu pastor.

Eu não tenho um hobby, meu pai também não e eu não tenho grana pra comprar nem um fusca, mas deixemos a piada sem graça de lado.

Na verdade, eu não tenho mesmo um hobby. Eu tenho vários! Vida de desocupado é isso aí, arrumando distrações pois mente vazia é oficina do tinhoso. E como eu já não estou respeitando mais nada desse meme, vou postar alguns dos meus passatempos preferidos.

Sou músico, saxofonista e não sou profissional. Isso já conta como hobby, né?

Sempre curti, como já falei várias vezes, essa coisa de música. Meus pais também queriam que eu fosse músico, então me colocaram na aula de música. O problema é que eles queriam que eu tocasse sax alto, sendo que preferi o sax tenor.

Para você, amado leitor, que não sabe do que estou falando quando digo "alto" e "tenor", fica a dica: Imagem

O da esquerda é o alto, aquele que quase todos saxofonistas tocam e quase todo mundo acha lindo.
O do meio é o tenor, que poucos tocam, eu toco, poucos conhecem, mas eu amo e é isso que faz a vida feliz.
O da direita, ah, o da direita, esse é o barítono. Pouquíssimos tocam, pouquíssimos conhecem, mas tem um som lindo e eu ainda terei um.
O de baixo é o soprano. Também são poucos que tocam, mas muitos já ouviram e acharam que era o alto. É bonito também, não como o tenor, e uma grande amiga minha toca. =)

Então eu passei a tocar sax, gostar de sax e coisas relacionadas a isso, como meninas que tocam sax... mas deixa isso pra lá. =P

Para que este post não se alongue como minha ficha criminal preguiça, colocarei meu mais novo hobby. Tenho mais uns vinte posts para fazer e pessoas querendo ler.

Estou entrando na era do bonsai. Quando digo "era", é só para mim. A era de cuidar de uma miniatura de jaboticabeira que está ficando bunitinha.

Eu ganhei (?) da minha mãe, no dia das crianças, enquanto meu pai me dava uma barra de chocolate que ele mesmo fez a bondade de terminar. ¬¬

Ainda é uma árvore pequena (como se fosse crescer tanto assim...), mas está ficando legal. As folhas amarelas-amarronzadas que vieram de brinde, já não existem mais. Tem folhas bem verdinhas e logo dará seus primeiros frutos.

É algo que pede uma paciência e um carinho especiais, mas é muito bom ver o resultado.

Então é isso. Até daqui a pouco no próximo post, onde exercitarei mais um de meus hobbys: escrever.

terça-feira, outubro 19, 2010

Dia 19 - Um talento seu

Sou músico. Serve?

Bem, acredito ter alguns talentos. Não que eu me julgue um gênio, ou mestre em alguma coisa, mas tenhos mais de um. Pelo menos, eu acho. =P

Bem, sou músico. Toco sax e um pouco de contra baixo. Não sou um mestre nisso, nem tenho cd ou algo assim. Na verdade, nunca me gravei tocando. É algo mais íntimo. Não ligo se as pessoas acham que eu toco bem. Toco para mim e para Deus. Se Ele disser que está bom, fico feliz. Simples assim.

Sempre tive essa "coisa" com música. Então acabei me tornando um DJ também. Não, não me peça para tocar naquele seu abominável baile funk. Toco um pouco de RnB, um Charm, Hip-Hop, Eletrônica, até o que conseguir.

Além disso, de vez em quando, canto. Mais música na minha vida. Não sei porque, mas parece que já nasci com isso.

Bom, outro talento? Sei escrever bem. =)

Pelo menos foi o que me disseram. Se me enganaram, vai lá reclamar. É só pesquisar os comentários do meu outro blog, ou deste aqui mesmo. Escrevo de tudo. Já escrevi um conto sobre uma menina que era atormentada, em sonhos, por uma cobra gigante (!), já escrevi poemas, já desenhei com palavras... Eu gosto do português. E a melhor forma de homenageá-lo é usando-o.

Eu sei que tenho outras coisas, mas não lembro. Ou não quero dizer, por timidez, preguiça ou qualquer outro motivo.

Ah... sei lá... é mais ou menos isso.

Quem inventou esse meme?!

Dia 18 - Um poema

NOITE DE LUAR

Lua,
tu que banhas de prateado
este céu todo estrelado
na profundeza das noites,
vai dizer à minha amada
que a saudade é um cativeiro
de quem recebo os açoites,

que sinto nos sons profundos
o mumúrio de sua voz,
e vejo os pares de estrelas
como se fôssemos nós.

Lua, eu te peço, não negues,
lança um raio de Luar
na face do meu amor,
e faz com que ela sinta
dos meus beijos o calor.

E se acaso ela adormece
faz de seu sono uma prece,
e do céu a catedral.

Colhe as estrelas mais belas,
tece um véu no firmamento,
e leva a ela que eu mando
com este fiel juramento:

Te amarei por toda a vida,
sem fronteiras no pensar,
e deste amor farei tudo
para o teu amor conquistar.



Poema escrito pelo Cel. Tirteu Frota. Li, amei, postei.

Dia 17 - Uma obra de arte (pintura, desenho, escultura, etc)

Mais um post corrido, mas sobre uma coisa que gosto: arte.

Eu sempre gostei dessa bagunça toda de arte, de expressar os pensamentos e os sentimentos em palavras, sons, formas, etc. E se tem uma obra que me expressa, é esta:



"O pensador", de Rodin = Eu :-)

Dia 16 - Uma música que faz você chorar (ou quase)

Não me prolongarei em descrições, pois tenho QUATRO posts para fazer. Fiquei longe dessa budega e agora estou voltando. Então, à música:





Sério, já chorei ouvindo essa música.

sábado, outubro 16, 2010

Dia 15 - Uma Fotomontagem

Pois bem. Vocês não pensavam que este post sairia no dia certo, né? 1: É uma montagem. 2: Eu teria que fazer. 3: Não sou bom em montagens. 4: É uma montagem!

Então, não se assustem com o resultado.



Isso aí sou eu. Essa farofa toda. Faltaram elementos, mas você vai perceber me conhecendo. Fiquem felizes, eu fiz uma montagem! E nem foi tão ruim, vai...

sexta-feira, outubro 15, 2010

Dia 14 - Um Livro Não-ficcional

Acredito que todos perceberam a minha paixão por livros. E todos perceberam também, se não me engano, que a maioria deles é ficcional. E, então, desta forma, fico meio limitado para falar de um livro não ficcional. Não que não os leia, mas são poucos. Então falarei de um dos últimos.

Se você não gosta de "papo de crente", então mete o pé, cumpadi, que a chapa vai esquentar. Ok, nem tanto. O livro que cito, desta vez, é o Nas Garras da Graça, de Max Lucado.

Quando li esse livro, vi muita coisa que as pessoas, principalmente os "crentes" (que deveriam saber mais sobre o que acreditam), não percebem. Como Deus é tão grande e misericordioso, que nos dá tudo para permanecermos na sua presença.

Esse livro mostra onde estamos errando, como quando achamos que não temos perdão, ou que pecar é o fim do mundo, ou quando julgamos nossos irmãos, etc.

Livro muito bom, que lerei novamente, em breve. Indico legal a todos os indivíduos que visitam essa bagunça aqui.

quinta-feira, outubro 14, 2010

Dia 13 - Um Livro de Ficção

Mais um post atrasado, mais um sobre livros, mais um sobre coisas que eu amo, etc... E eu já li tanta coisa, que fica até difícil para escolher um livro. Pensei bastante, ontem (13), para escolehr sobre o livro que iria citar hoje. E o escolhido foi... Pikachu Angels & Demons (Anjos & Demônios), do Dan Brown.

Dan Brown é aquele cara que escreveu o Código Da Vinci, livro muito criticado, elogiado e não lido completamente por mim. Sério, cansei de ler o Código Da Vinci! Até aí tudo bem, mas fui ler Fortaleza Digital, do mesmo Dan Brown. Me forcei a acabar de ler, apenas por ter comprado o livro e pagado do meu bolso. Não fosse isso, teria jogado longe. Livro muito bobinho.

Mas, como estou aqui pra falar do acerto desse cara, voltemos ao Anjos e Demônios, que li porque achei a R$2 (DOIS REAIS!!!), em inglês. E como estudo inglês desde que ouvi alguém falando "superman"...

O livro é simplesmente, desculpem a ilustração, o espermatozóide que fecundou o óvulo! Deu certo! E como foi a primeira aventura do Robert Langdon, foi a única que rendeu boas horas de leitura.

O livro me prendeu de tal forma, que pensei em levá-lo na sessão do descarrego!

Mistura Illuminati, com CERN, com Vaticano, com LHC, com romance, mortes , suspense, ação! Depois coloca no meio do fogo! Saiu, praticamente, perfeito. E olha que nem gosto de histórias do Dan Brown. Mas tenho que reconhecê-lo por este livro.

A história? Ah... Um cara, que é professor, que sai dos EUA, chamado por um outro cara, da CERN, para ajudar a desvendar a morte de um outro cara, também da CERN, que tem marcas que aparentam ter ligações com ocultismo, coisas antigas, etc. No meio disso tudo, você descobre tanta coisa, que parece até verdade. Meu cérebro foi "a mil"!

Enfim, é um livro muito, mas muito mesmo, bom. Indico legal para todos que gostam de livros. De qualquer gênero.

quarta-feira, outubro 13, 2010

Dia 12 - Um Conto

Mais um post atrasado, mas continuamos com o Meme. Apesar das dificuldades, tentarei trazer a vocês, as coisas mais importantes da minha vida. (?) Então, vamos ao post de ontem.

Um conto é, na verdade, mas não totalmente, uma história curta. Se caracteriza pelo ritmo e etc. Mas não vim falar sobre contos. Vim falar sobre um conto. Então, senta, que lá vem história.

Eu fiquei pensando se postava um conto inteiro ou falava sobre um. Na dúvida, resolvi falar sobre um: O Elefante do Mágico, de Kate DiCamillo, que me foi emprestado pela @La_Creída. Simplesmente mágico!

É uma história onde o menino, que perdeu sua família quando criança, vive com um tio e busca a irmã, que é tida como morta. No meio da história, surge, literalmente, um elefante, trazido por um mágico que vai preso e se sente culpado por tragédias que acontecem mas eu não contarei. Afinal, é pra você ler!

Mas é, realmente, muito bom. E hoje ontem, dia 12, dia das crianças, nada melhor que um conto infantil que encanta até os adultos.

Leia e você não vai se arrepender.

terça-feira, outubro 12, 2010

Dias 10 e 11 - Atraso!

Bem, a ideia era colocar uma foto minha, com mais de 10 anos, no dia 10 e uma foto minha, atual, no dia 11. Como não fiz nada disso, colocarei hoje mesmo. Mais tarde eu posto o conto.

(Agora é só achar as fotos...)
(Achei \o/)


Antiga:



Atual:


É, eu sou feio. O que vocês esperavam? O sax foi para ninguém prestar atenção na minha cara...

sábado, outubro 09, 2010

Dia 09 - Uma foto que você tirou

Eu gosto tanto das fotos que eu tiro =)



sexta-feira, outubro 08, 2010

quinta-feira, outubro 07, 2010

Dia 06 - Um Experiência Inesquecível

Eu sei que estou bem atrasado, mas vocês já esperavam isso. E não apenas porque eu fui dormir. A maior causa da demora deste post foi a confusão mental em que me meti, pensando em que experiência eu colocaria aqui.

Tive, na minha curta e feliz vida, muitos momentos que nunca esquecerei. Alguns que até coloquei no Eis Que Te Falo, alguns que poucas pessoas sabem ou tem o direito de saber, alguns que seres humanos nunca saberão e outros que todo mundo sabe mas eu não canso de contar.

Graças a Deus, este post não é sobre nenhum destes momentos aí. É sobre alguns momentos loucos da minha vida adolescente inconsequente delinquente.

Sempre fui um amante da velocidade. Desde quando assistia as 0,00000500 milhas de Formigópolis. Gosto do vento, da sensação de estar voando, da liberdade que a velocidade e a aceleração nos proporcionam. Foi uma das partes preferidas enquanto estudava física. Era uma pena quando o professor nunca entendia a causa de meus cálculos estarem sempre constatando uma velocidade mais alta do que o normal. Eu falava que incluía o fator Adrenalina nas equações, mas ele não aceitava. Retrógrado injusto.

Então, com essa coisa de velocidade e etc, sempre busquei meios de conseguí-la. Quando ganhei minha primeira bicicleta, por exemplo, consegui, de forma muito rápida, o primeiro acidente por andar acima do limite. E também por não saber virar. A bicicleta também não tinha rodinhas. Nem freio. E eu ganhei um chifre no meio da testa, causado pela traição da minha bicicleta com um muro chapiscado.

O tempo foi passando, eu peguei experiência e tentei novos experimentos. Foi quando aconteceu o primeiro tombo por alta velocidade sem mãos. Fui punido com alguns segundos limpando o chão com meu corpo.

Após isso, acertei também com a "Catapulta-ao-chão", manobra criada por mim, usada por mim e sofrida por mim. Consiste em enfiar o pé na roda dianteira de uma bicicleta sem freios, após uma aceleração de 20m/s². A bike levará seu corpo a produzir uma curva perfeita e direta, em direção, claro, ao chão. ATENÇÃO: Ao utilizar-se desta técnica, tenha certeza de colocar as mãos na frente do rosto ANTES do final da manobra. Caso não proceda desta forma, não poderás, nunca mais, colocar aquele seu lindo piercing no nariz.

Fui crescendo, ficando mais malando, mais rápido e mais estável. Não, não mentalmente. Apenas não tomava mais os mesmos tombos bobos. Até aquela noite...

Tudo aconteceu quando um amigo me chamou para andar de bicicleta, em uma estrada fechada para carros, próxima da minha casa. Nos preparamos, ajustando nossos corpos em cima de nossas camelas, e fomos ao encontro de nosso destino. Eu, principalmente.

Era uma noite de sexta feira, a estrada estava movimentada, pessoas caminhavam para lá e para cá. Moças com suas calças de ginástica, rapazes com suas bermudas velhas, pobres com suas havaianas presas com grampos, cachorros sarrando em pessoas namorando, etc... Tudo muito bonito e inspirador. (NOT)

Decidi, então, lançar-me na minha busca pelo prazer da adrenalina. Comecei muito bem, com minhas acelerações em uma Caloi Barra Forte de 6 marchas. Azul era sua cor, pretos eram seus pneus, louco era (?) seu dono.

Tudo ia bem até eu decidir me tornar um pouco mais "aerodinâmico". Inclinei meu corpo e, como a possante não tinha guidão preparado para corridas, resolvi colocar meus cotovelos apoiados nos originais de fábrica. A aceleração era incrível! Eu podia sentir as gotas de suor saírem voando do meu corpo! Eu estava atingindo um novo patamar no ciclismo amador! Quando... Tinha que ter um "quando"!

O que vi foi muito rápido e... tarde demais. Um dos bueiros estava com a tampa abaixo da linha da rua. A roda da frente abriu caminho para o buraco negro, a roda de trás, na pressa de seguir sua companheira, lançou-se para o alto (e avante), fazendo com que meu corpo fosse projetado em direção ao ar! Não ao chão, não à frente, mas ao ar.

Por um momento, "¡un rato!", eu pude voar. Poucos seres humanos, pobres, tiveram ou terão essa experiência. Foi mágico. O chão corria para trás de mim, as luzes deixavam seu rastro, as pessoas não importavam mais, nem o chão, nem nada. Só eu e o ar, juntos, nos amando! E veio o chão.

A minha experiência de super homem terminou por aí. Agora começava a de um ônibus espacial entrando na atmosfera, mas era meu corpo tentando entrar no chão. Tudo queimando, rasgando, arrastando.

Contagem dos mortos: alguns (enormes) arranhões, nenhum osso quebrado, uma roda empenada, uma confusão no hospital, onde acharam que eu tinha caído de moto, e um novo apelido na escola, X-Games.

quarta-feira, outubro 06, 2010

Dia 05 - Uma citação de alguém

Mais um post saindo atrasado! Mas dessa vez não foi por falta de tempo e outras histórias. É só porque eu não conseguia pensar na citação que colocaria aqui. Não consegui me lembrar de nenhuma que me marcou tanto. Então resolvi pensar antes de postar.

Aí lembrei de uma das últimas que li. A poucos minutos, por sinal:

"O importante é que macacos não voam."

segunda-feira, outubro 04, 2010

Dia 04 - Seu livro favorito

Se eu terminar esse texto antes de meia noite, vai ser o primeiro post que sai no dia certo. Então, deixando o resfriado de fim de semana, vamos ao assunto.

Para quem não sabe, eu leio muito. E de tanto ler, é difícil escolher um livro para ser o favorito. Tenho, se não me engano, apenas um livro ruim, que nem foi tão ruim assim, do Dan Brown. Eu nem lembro que livro é, de tão "bom" que foi rsrsrsrs.

Mas, dos livros bons, destacarei alguns antes de me reter no principal.

Um dos últimos que li, "Um Livro Perigoso Pra Cachorro", escrito por Rex e Sparky, é muito louco. Dois cachorros contando histórias e dicas de cachorros para cachorros! Ainda bem que traduziram para o português. Ainda não estou muito bom no latinês. Indico legal.

Também li, ultimamente, "O Ladrão de Raios", do Rick Ryordan. Aquele do menino que descobre que é filho de Poseidon e tem que procurar um raio e um chapéu roubados, enquanto os deuses ficam brigando infantilmente. Indico pra quem viu e pra quem não viu o filme. Muito bom mesmo.

Também li "O Horror em Red Hook", de H.P. Lovecraft. Incrível livro de terror, com vários contos desse mestre. Se você tem mente e/ou estômago fracos, melhor não ler. Mesmo assim, recomendo a quem aguente. Existem pessoas que acreditam que essas histórias sejam reais, mas também acreditam por aí que o Big Brother não é manipulado...

Mas o que eu não consigo largar, que nem é um livro, mas uma série, é "Torre Negra", do Stephen King. O que é aquilo? O cara faz um história de suspense que envolve um mundo anos 60 ou 70, se não me engano, um mundo pós guerra, que virou meio faroeste, e a junção desses mundos, que acaba criando outros mundos em sonhos ou visões.

É muito louco. Mas não recomendo para peguiçosos. Estou lendo o 4º livro, "Mago e Vidro". Só esse, tem por volta de 820 páginas. Você aguenta? Estou quase acabando e já quero o próximo.

Tem espalhado aí pela internet, mas recomendo que você compre ou pegue em alguma biblioteca. Indico também os livros do Dean Koontz, que seguem a ideia de suspense. E os do C.S. Lewis, aquele do "Crônicas de Nárnia".

Bem, eu acho que é isso. Mais um post atrasado, por mais que tenha começado em um horário que desse pra terminar até ontem. Tive que paralisar minhas ações para atender um chamado mais importante. Então, até mais tarde, se Deus quiser, para o post do dia 05, que, acredito eu, sairá no dia certo. Bejones.

Dia 03 - Seu programa favorito de televisão

Olha que legal: dois posts em menos de uma hora. Isso aqui ainda vai pra frente... Um dia... Quem sabe, né? Mas, ao assunto.

Eu não gosto muito de ver televisão. Acho que tem coisas mais interessantes em outros lugares. E não falo apenas da internet. Não que televisão seja, de todo, uma coisa ruim. É só que a maioria dos programas é... como faço para dizer que os programas são de gente burra sem falar isso? Oh, wait...

Sério, gente. É tanta inutilidade na tv brasileira, que até me pergunto se o que estou segurando é um controle remoto ou uma daquelas canetas do MIB. Parece que ao apertar aquele botão vermelho, as pessoas se esquecem da realidade. E, ao apertá-lo novamente, se esquecem da que viram ali. Vivem alienadas com BBB's e Fazendas e novelas e quem matou a Samara Morgan?!

Então, de alguns tempos para cá, tenho visto apenas filmes, alguns desenhos e uns programas bobos de humor "inteligente" que começam a me colocar em dúvida sobre sua real inteligência.

Ah, mas também tem os "realitys legais"! Não poderia esquecê-los. São aqueles que mostram uma "realidade real", diferentes das bichices que tem em algum outro programa, já citado, que diz mostrar a realidade. São programas como A Liga, E-24 e Polícia 24H. Esse mostram a realidade nua e crua como a carne de algumas das vítimas apresentadas.

Também existem os programas de esporte, que quase não falam de esportes que não sejam o futebol, os "programas" de domingo, que, para mim, são apenas cubinhos de isopor dentro de uma caixa de papelão: conteúdo inútil.

Mas o programa que mais gosto, de verdade, e que quase não vejo mais, por falta de tempo, e acabemos com o suspense, e as vírgulas, é o Leitura Dinâmica. O que é aquilo? Uma versão melhorada do fantástico? E que passa de segunda a sexta? Pena que passa depois daquele outro programa inútil, que acaba quando já estou dormindo. Mesmo assim, indico total. =)

Talvez eu faça o post do Dia 04, que é hoje, ainda hoje. Por enquanto, abstenham-se de sua ausência neste espaço.

domingo, outubro 03, 2010

Dia 02 - Seu filme preferido

Eu sabia que esse negócio de um post por dia não era muito seguro, imagine dois! Mas eu escolhi isso. Eu decidi me enfiar nesse projeto. Eu quis firmar esse compromisso! Então, sem chororô, que não é o irmão do Xitão, continuemos.

Talvez esse filme não seja conhecido por vocês, mas marcou minha visão dos filmes. Foi, também, o primeiro filme que vi com o Christian Bale. \o/

É uma viagem bem louca, pós terceira guerra mundial, com uma certa pílula que tira os sentimentos das pessoas, para que não briguem mais e etc.

Me apresentou o Gun Kata, que eu nunca consegui aprender direito por causa dessa tal lei sobre porte de armas, me mostrou como é possível bater em um monte de gente ao mesmo tempo, me fez dar mais valor às obras de arte e ainda me fez gostar mais das coisas simples da vida, como descer uma escada passando a mão pelo corrimão.

Para ter um gostinho, vejam o trailer: (Está em inglês, mas não se preocupem muito com isso...)





Agora vai lá na locadora e pega o filme. Indico total.

sábado, outubro 02, 2010

Dia 01 - Sua música favorita

E pra começar o meme, que tal o dia 01? Legal. A não ser pelo fato de hoje já ser o dia 02!

Por conta de alguns problemas, o dia 01 só saiu hoje, no dia 02. Mas leiam como se eu tivesse escrito isso ontem. Afinal, enquanto escrevo, são três horas da manhã e você ainda não acordou. Então vamos à música.

Essa questão é muito difícil para mim. Não que eu não goste de músicas. É exatamente o contrário. Eu gosto tanto de músicas, que acabo não escolhendo uma favorita. Existem muitas músicas que me emocionam e etc, mas acho que colocarei a que, ultimamente, mais toca no meu ouvido: Kelly Price cantando Love Sets You Free.





Fiquei até arrepiado. Depois dessa o post do dia 02 vai ter que esperar. Apenas apreciem. Falo mais nada.

sexta-feira, outubro 01, 2010

Mais um no "Meme de Outubro"

É isso aí, meus amigos desocupados. Após tanto tempo de ociosidade neste precioso (até parece...) blog, voltei. Com grande estilo, vontade e cara-dura! E também, às 02:56 da manhã, com um post que era pra ter saído ontem. Mas vai lá...

É o seguinte: após ver que o Luiz Cezar, do Borra de Vida, copiou, descaradamente, o meme do Falta do Que Fazer, da Gabi, que também copiou de alguém, decidi entrar nessa copiadora e participar da reprodução.

Segundo o Luiz, que pegou esse texto da Gabi, olha o que é um "Meme":

“O termo "meme" foi criado por Richard Dawkins, no seu livro "O Gene Egoísta", de 1976. Dawkins e outros cientistas depois dele identificaram o meme como um fragmento de cultura ou comportamento que é replicado de cérebro a cérebro, de forma parecida com o que acontece com os genes na biologia.
É evidente que o termo "meme", como usamos aqui, é uma adaptação livre e expandida do seu sentido científico estrito, mas não foge da essência da idéia. Hoje em dia, um "meme" na internet é entendido popularmente como um conteúdo que vira febre e é reproduzido por todo mundo.”

Nesse meme que vos apresentarei a seguir, há um post que deve ser feito a cada dia, com as indicações solicitadas. Eis a lista com os 31 tópicos do meme:

Dia 01 - Sua música favorita
Dia 02 - Seu filme preferido
Dia 03 - Seu programa de televisão favorito
Dia 04 - Seu livro favorito
Dia 05 - Uma citação de alguém
Dia 06 - Uma experiência inesquecível
Dia 07 - Uma foto que te faz feliz
Dia 08 - Uma foto que te deixa irritado / triste
Dia 09 - Uma foto que você tirou
Dia 10 - Uma foto de você há mais de dez anos
Dia 11 - Uma foto sua recente
Dia 12 - Um conto
Dia 13 - Um livro de ficção
Dia 14 - Um livro não-ficcional
Dia 15 - Uma fotomontagem
Dia 16 - Uma música que faz você chorar (ou quase)
Dia 17 - Uma obra de arte (pintura, desenho, escultura, etc)
Dia 18 - Um poema
Dia 19 - Um talento seu
Dia 20 - Um hobby
Dia 21 - Uma receita
Dia 22 - Um site
Dia 23 - Um vídeo do YouTube
Dia 24 - Seu lugar preferido
Dia 25 - O seu dia, em grande detalhe
Dia 26 - Sua semana, em grande detalhe
Dia 27 - Este mês, em grande detalhe
Dia 28 - Este ano, em grande detalhe
Dia 29 - O que você espera, os sonhos e planos para os próximos 365 dias
Dia 30 - O que você quiser
Dia 31 - O Bônus ou o Fim

Agora que eu vou começar, quero ver continuar. Mas, já que estou nessa, não custa nada tentar. Então, até mais.

quarta-feira, agosto 11, 2010

Sobre um ser de tão grande insensibilidade...

Confesso que não li "O Futuro de Uma Ilusão". Mas, além de beleza, raciocínio rápido, modéstia e superioridade congênita, tenho o poder da mediunidade, que, como todos sabem, me garante o direito da morte injustificada.

A exemplo de Klaus Van Hardsten (que também não li, apesar de fingir conhecê-lo como as frieiras do meu tio Alfredo), "O Futuro de Uma Ilusão" parece que foi escrito por uma necessidade que Sigmund Freud tinha de, digamos assim, escrever.

Agora, vamos nos ataviar um pouco nesse assunto específico, que é a necessidade da escrita. Por que um ser de tão grande insensibilidade decide escrever merda? Apesar de não ter lido o motim desorganizado de referências gastrópodes da obra, é fato notório que eu detenho exclusividade na arte de escrever merda . Não aceito qualquer ameaça de concorrência.

Eu poderia declarar aqui que o avião é um mamífero que nada, mas tenho que arranjar outra forma de enganar o leitor e encher lingüiça. Por isso exercito minha bipolaridade (que, aliás, é meu cartão de visitas) e minha preguiça destruindo coisas que desconheço e escrevendo frases de efeito como: a maluquice de Rui Mortim é constatada no momento em que a obra resiste a se integrar ao Pernassianismo e se dispersa em painéis adolescentes.

De qualquer forma, voltando à " O Futuro de Uma Ilusão": não se trata de algum Machado de Assis, nem de uma Stephenie Meyer. Aliás, essa comparação que tentei fazer só expõe minha limitrofia, porque não posso comparar uma obra que não li. Mas, para que se preocupar com coerência e raciocínio? Se Sigmund Freud for tão imbecil quanto eu, pelo menos arrumo uma boa briga.


Ok... Esse texto não é "completamente" meu, por mais que eu possa fazer coisas desse tipo. Isso é um texto gerado por um site muito maluco que eu encontrei no blog de alguém, o Mundo Perfeito. Lá você encontra um gerador de textos incrivelmente loucos e com um sentido pouquíssimas vezes encontrado em algo sério.

Ah... Quer entender melhor? Então vai lá: Gerador de Textos do Mundo Perfeito!

quinta-feira, julho 29, 2010

Manual do Trabalhador Desocupado #1

Você está no seu trabalho, não tem o que fazer e se pergunta "Oh! O que farei eu de todo este tempo sobressalente que me foi permitido?"

Não se exalte, nem se preocupe, pois aqui vai uma das coisas legais de se fazer em um trabalho com pouco trabalho.

"Material" necessário:

- 1 (hum) computador com acesso à internet;
- 1 (huma) impressora, de preferência colorida;
- 1 (huma) tesoura;
- cola (Não, não é "huma". Você não tem "duas colas". Você pode ter dois "tubos" de cola. Por favor, não insista.);
- café e, talvez, um bolo, salgado ou coisa que o valha.

Modo de atuação:

Partindo da ideia de que seu computador está ligado e com o seu navegador favorito, ou não, aberto(você está lendo isso, não?), abra uma nova aba, ou janela (seu atrasado!), e entre em "http://olhaquemaneiro.blogspot.com/2010/06/download-de-insetos-de-papel.html". Você pode copiar e colar, digitar ou, simplesmente, clicar no link. (você sabe como usar esse aparelho na sua frente, não?)

Lá você verá o grande mineiro Guilherme Bandeira falando sobre um de seus achados internéticos, os insetos de papel da Fuji Xerox do Japão. Ele apresenta algumas imagens dos bichinhos e coloca os links que você precisará acessar para completar sua aventura de hoje. Como tem alguma coisa ali que não dá pra entender muito bem, os links estão aqui também:

Link 1 - Esta é a página onde você encontra as coisinhas para baixar. É só descer um pouco que eles estão logo ali.

Link 2 - Aqui você vai baixar o programa necessário para abrir os seus projetos de insetos.

(Clique primeiro no Link 2 e baixe o programa. Depois você clica no Link 1 e baixa os bichinhos. E não reclame da ordem dos fatores!)

Após baixar e instalar o programa (Você sabe fazer isso. Está em inglês, não japonês.), pode clicar nos bichinhos lá do outro link. Eles se abrirão. (Novidade!) Mande imprimir. Serão gastas duas folhas, uma com corpo, cabeça e membros do bichinho, e outra com as instruções. Estão em japonês, mas, se você já comeu macarrão instantâneo, dá pra entender um pouco.

A ideia é sempre a mesma:

Use a tesoura (lembra dela?) e recorte nas linhas exteriores. Nos asteriscos (assim: * ), você, provavelmente, deverá passar cola e unir a alguma parte que combine. (Está lá nas instruções. Tem desenho e tudo pra você entender.)

Tenha paciência e, durante o processo, beba seu café e coma seu bolo ou algo equivalente. Vai por mim, eles ajudam a parar de tremer. A não ser que você tenha alguma doença que café e bolo não curem.

Após recortar, comer, beber, dobrar, beber, colar, beber, comer, tirar um sarro com a tia que tá passando e acabar de beber, seu trabalho está pronto. Cole a base (Sim, aquilo é a base.) e cole na sua mesa da maneira que lhe parecer possível.

Agora é só ouvir coisas como "Foi você que fez? Que bonito!", "Faz um pra mim também?" e "Não tem mesmo nada pra fazer, hein."

Você pode, também, escrever um post sobre isso no seu blog. Pode também colocar fotos, como era o meu intento. Para isso, você necessitará de:

1 - (hum) celular ou câmera que não necessite de instalação de drivers;
1 - (hum) cabo usb, em condições de funcionamento, compatível com seu celular ou câmera.

Se, por um "acaso do destino", você não puder imprimir colorido, utilize a ideia em preto e branco (ou tons de cinza) que também fica legal. Poderás utilizar-se de lápis de cor ou giz de cera, caso você ainda os tenha.

Dez minutos após completar seu desígnio, pegue um livro e vá fazer algo útil.

sexta-feira, julho 09, 2010

Berzundela de Sóbria

Após quase cair de nádegas no chão, venho contar-lhes uma história, verídica, mas não aconteceu comigo. Aconteceu com a amiga de uma colega que estava com outras amigas. É mais ou menos assim:

(Nomes alterado porque eu não lembro dos nomes reais...)

Marcilda, Evangelina e Suevellyn são três amigas que adoram sair juntas. Não apenas pelo fato de serem amigas, mas também porque Evangelina não bebe, podendo dirigir e ajudá-las a distinguir copo com bebida de corpo da Pepita.

Certa vez, em um de seus passeios, já passando de quatro horas da manhã, resolveram se apressar a pagar a conta e voltar para casa. O dia seguinte seria longo!

Todas concordaram que Marcilda pagaria tudo no cheque e as outras compensariam conforme a divisão de consumo. Todas concordaram, também, que Evangelina preencheria o cheque com o valor certo e Marcilda apenas assinaria no devido espaço com sua devida, mesmo que confusa, letra.

Pediram a conta. O garçom, que não aguentava mais as cantadas de Suevellyn, a mais atirada, veio, feliz em saber que iam embora, finalmente(!), e trouxe a conta. Após conferir, Evangelina preencheu o cheque, pegou a identidade de Marcilda e disse:

- Tá aqui amiga, assina como está na sua identidade.

Marcilda olhou pra identidade, olhou bem na cara da Evangelina e, com um bafo atordoante, soltou:

- Ôurra... Ezza azinadura num é minha!

- É sim, Marcilda! Olha aqui na tua identidade!

- Já valei gui num é minha, borra! Gué disgudí gumigo?!

- Marcilda, meu amor, vê se essa foto aqui não é a sua.

- É minha vodo zim, mas a azzinadura num é!

-É sim, só assina aí pra gente ir embora, vai...

O circo assim se formou. As duas já estavam chamando bastante atenção. A não ser da Suevellyn, que ainda estava olhando para o garçom bonitão.

Continuaram nessa discussão por aproximadamente meia hora, enquanto pessoas se divertiam ou criticavam.

Como passava por perto, o gerente resolveu parar e ver qual motivo daquela baderna no estabelecimento.

- Posso ajudar em alguma coisa, senhoras?

A primeira a falar foi Marcilda:

- A minha amiga agui dá gum brobrema. Ela gué gui eu azzine gom uma azzinadura gui num é minha!

- Mas a assinatura é dela, moço. Ela que está bebada demais para distinguir. Não sei como vamos poder pagar. Estamos dependendo dela.

O gerente olhou as duas, pegou a identidade, examinou e disse:

- Bem, ela parece mais sóbria que a senhora. Esta assinatura é do diretor do IFP.

quinta-feira, maio 20, 2010

A Corrida

Antonio era um taxista normal. Isso, até aquele dia. Foi o seguinte:

Era uma segunda-feira fria de maio. Ele estava voltando de uma corrida e viu uma moça acenando. Já estava se preparando para fechar o dia, duas da manhã, mas decidiu atender aquele último chamado.

Ela era ruiva, com reflexos loiros no cabelo, que se estendia até a cintura. Seu rosto, com algumas sardas, combinava perfeitamente com seu sorriso. Lábios finos, nariz afilado e um olhar penetrante e sedutor.

Não lembro para onde ia, mas sei que o Antonio fez questão de não cobrar a corrida. Ele disse que conversaram bastante, contaram os “causos” da vida. Mas ela tinha algo que o atraía. Algo mágico que ele não conseguiu descrever.

Quando chegaram ao destino, um desses hotéis que tem por aí, ela ia se despedindo, mas o Antonio não queria deixá-la ir embora. Ele não acreditava que perderia, para sempre, a mulher que sempre procurou. E como tentou fazer com que ela desse alguma forma de contato! Um telefone, um endereço, email, msn, orkut, twitter, facebook, até a coordenada para onde ele deveria enviar o sinal de fumaça. Mas ela não deu nada. Nem mesmo seu nome.

Após muita insistência, sem nenhum proveito, para que ele aceitasse o pagamento da corrida, ela se desfez de suas tentativas e partiu para seu quarto no hotel.

Antonio, muito abalado, foi para casa. Mas, toda noite, ele faz questão de dirigir pelo mesmo caminho que fez com ela. Na tentativa de encontrar a ruiva.

Nunca mais ele foi o mesmo.

Chegamos ao destino, doutor. São R$ 27,00.

sexta-feira, abril 30, 2010

Histórias da PH #2

Bem, após um bom tempo sem postar nada, resolvo aparecer por aqui para deixá-los atualizados, contar as novidades e falar das situações inusitadas em que acabo me metendo no trabalho. Por mais que a minha culpa seja apenas por ter nascido.

Bem, aos fatos:

Esses dias acabei mudando de setor predominante por aqui. Vou explicar como é: Trabalho atendendo 3 setores: Contabilidade, Finanças e Tecnologia da Informação. Normalmente, fico em algum dos setores e, quando precisam, os outros me chamam.

Estava dormindo mais no "Finanças", mas esses dias fui parar no "Contabilidade". Tudo por culpa de um computador que não era ligado a eras!

Perguntei pra tia: "Esse computador liga?"
Ela respondeu: "Liga, mas é muito lento."

Tem coisa melhor pra me tirar do sono do que um computador precisando de atenção?! Tem, tem sim. Mas isso não vem ao caso.

Logo que tive o mínimo de tempo, o que aconteceu uns seis segundos depois, coloquei o "trambolho" pra ligar. Duas horas mais tarde eu estava acordando com o som do logon do windows. Tá bom, nem é pra tanto, mas...

Encarei meu desafio e falei: "Sofrerei!"

Enquanto limpava, consertava, alterava, hackeava e escondia o conteúdo do "coisa", ouvia as conversas das duas tias que trabalham nessa sala.

Cada papo mais louco que o outro!

Primeiro papo:

A tia da tarde estava muito, mas muito revoltada com a filha e seu namorado. (Da filha, não dela)
O que aconteceu foi:

A filha dela sempre viaja para algum lugar que não me diz respeito. Se hospeda em alguma hotel, hospedaria, pousada, barraco, etc, que também não me diz respeito. Tudo normal.

Mas, dessa vez, a pobre coitada resolveu se aventurar pela internet. Achou um outro lugar pra se hospedar. Mais barato e coisa assim. Até fez o depósito. O problema é: o lugar é ruim! Uma amiga dessa menina disse que tem até baratas no quarto!!!

E lá foi sua mãe tentar solucionar o caso. De forma pacífica e harmoniosa, ela conseguiu cancelar a reserva. O problema agora era outro: a devolução do dinheiro. Coisa que, em um hotel confiável, seria uma cosia simples. Mas não. A criança tinha que confiar em qualquer coisa que se lê na internet. O supracitado hotel, aparentemente, não quer devolver a quantia depositada.

E ainda tem mais: o namorado da menininha, pelo jeito, emprestou dinheiro para a viagem. A tia já não gostava muito dele, mas quando soube que o indivíduo estava apertando a "pequena" com afirmações do tipo "eu já estou no vermelho" e etc, foi o fim do dia. As chamas do ódio já estavam corroendo seu coração antes das três da tarde!

Essa, é uma das várias coisas que vejo por aqui. Várias? Muitas! Mas por enquanto vai ficando assim. Daqui a pouco elas me pegam falando delas por aqui. Ou não.

Depois posto mais alguma coisa. Foi um post curto com intuito de atualização. Não ligue se demorou e veio assim, nunca mandei você gostar.

E minhas histórias mais antigas vos bastam.

quinta-feira, abril 01, 2010

Ilha de Lost é Real!

O Serviço Secreto Britânico acredita ter encontrado a verdadeira Ilha de Lost, um arquipélago remoto que, surpreendentemente, parece ter inspirado a criação do seriado norte-americano.

A descoberta foi feita por acaso, no ato da prisão de piratas somalis que haviam sequestrado um cargueiro norueguês no golfo de Áden. Com os piratas, foi encontrado um mapa que mostrava a localização de uma ilha. Enviados ao local, agentes da SAS, a tropa de elite da Força Aérea inglesa, relataram que a área está sob forte influência de um campo eletromagnético até então desconhecido.

O que mais deixou os agentes perplexos foi a descoberta de destroços de um avião Boeing 737 sem nenhum vestígio de corpo por perto. No avião, havia apenas um caixão, vazio, no compartimento de bagagens. Na ilha, havia ainda um cão da raça labrador com uma coleira em que se lê o nome Vincent.

O coronel John Smith, fã da série Lost, foi quem primeiro atentou para as coincidências. "Em 20 anos de SAS, nunca havia ficado tão assustado", confessou. Os piratas somalis usavam a ilha como esconderijo. Havia um bunker com uma escotilha no topo e uma sequência de números - 4, 8, 15, 16, 23 e 42. Os militares dizem não saber o que isso significa.

A ilha ainda não foi batizada. Um agente sugeriu o nome "Lost" ("Perdido", em inglês), mas outro argumentou que isso não fazia sentido, já que a ilha não estava mais perdida. Como ela foi descoberta por militares britânicos, caberá à Rainha Elizabeth II o batismo da ilha.

Dos quatro piratas somalis presos, dois, curiosamente, usavam camisas do Botafogo. Um deles se chamava Paulinho Criciúma, um nome pouco comum na Somália. Eles dançavam ao som do Rebolation quando foram surpreendidos pelos agentes britânicos.

Dentre o material apreendido com os piratas constavam três caixas de CDs do Biquini Cavadão, dezenas de latas de goiabada Cascão e garrafas vazias de Guaraná Jesus. Um imenso tonel cor de rosa levou o Serviço Secreto Britânico a concluir que o local era usado para fabricação pirata da bebida, que depois seria vendida em camelôs das ruas da Tanzânia.


Tirado daqui: Yahoo! Notícias








P.S.: 1º de Abril =P

A Verdade Sobre o 1° de Abril

O ano nem sempre foi como nós o conhecemos agora. Por exemplo: no antigo calendário romano, abril era o segundo mês do ano. E na França, até meados do século XVI, abril era o primeiro mês.

Como havia o hábito de dar presentes no começo de cada ano, o primeiro dia de abril era, para os franceses da época, o que o Natal é para nós hoje, um dia de alegrias, salvo para quem ganhava meias ou uma água-de-colônia barata.

Com a introdução do calendário gregoriano, em 1564, primeiro de janeiro passou a ser o primeiro dia do ano e, portanto, o dia dos presentes. E primeiro de abril passou a ser um falso Natal - o dia de não se ganhar mais nada.Por extensão, o dia de ser iludido. Por extensão, o Dia da Mentira.

VOCÊ ACREDITOU NESSA? Há outra.

No hemisfério Norte, onde tudo é o contrário do hemisfério Sul - inclusive, em muitos países, corrupto vai para a cadeia, imagine! -, a primavera está no auge em abril. "Abril" viria, mesmo, do latim Apriiis, que viria de Aperire, ou Abrir, pois a primavera é a estação em que os botões se abrem, tanto das flores quanto das roupas, e o pólen está no ar, e as abelhas voam, os camponeses correm atrás das camponesas e, como se não bastasse toda esta confusão, os alérgicos espirram e os pássaros cantam.

Um dos primeiros pássaros a cantar a chegada da primavera é o cuco, cuja característica é imitar a voz de outros pássaros, tanto que os assim chamados relógios-cucos não deviam ter este nome, já que o que o passarinho canta quando sai da janelinha nunca é o seu próprio canto, é plágio.

O primeiro dia de abril, na Europa, era, portanto, o Dia do Cuco, que saía do seu ninho para espalhar a discórdia, já que ora imitava um pássaro, ora imitava outro. E a todas estas horas as camponesas voavam, as abelhas perseguiam os camponeses pelos campos e os alérgicos floriam e as flores espirravam e os padres mandavam parar essa pouca-vergonha, já! E matem aquele cuco.

Primeiro de abril era o Dia do Cuco. O cuco é um pássaro mentiroso. Aliás, até hoje, ninguém, fora alguns parentes mais chegados, sabe como é o canto real de um cuco, já que ele sempre canta como outro. Logo, primeiro de abril ficou como o dia dos mentirosos.

ESSA CONVENCEU? Aqui vai outra.

Na verdade tudo vem da Índia, onde desde tempos imemoráveis existe o Festival de Huli, uma festa que dura um mês e em que tudo é ao contrário, tanto que ela começa no dia 30 de abril e termina no dia primeiro, quando as pessoas entram nas suas casas, de costas e começam a se preparar para a festa que já houve. O último dia do Festival de Huli é reservado para o "Vahila", que em sanscrito quer dizer "Tirar um Sarro", que é quando as pessoas recebem incumbências absurdas, como - isto já na época do domínio britânico - levantar a saia da estátua da rainha Vitória para ver se a calcinha também era de bronze. Foram, aliás, os ingleses que levaram a tradição do Huli para a Europa, junto com o curry e a malária.

Uma destas é a verdadeira origem do "1º de Abril". Mas, claro, isto também pode ser mentira...

Copiado, sem escrúpulos, do livro As Mentiras Que os Homens Contam, de Luís Fernando Veríssimo. (Sério, o texto é mesmo dele. Eu li o livro.)

quinta-feira, março 25, 2010

Do It Yourself... On The Kitchen...

Sábado resolvi invadir a cozinha lá de casa. Expulsei minha mãe e perguntei: Cadê a farinha de trigo?

Sim, meu querido leitor. Este, que aqui vos fala, ou escreve, resolveu se aventurar no mundo inebriante do "faça-você-mesmo-seu-bolinho-de-chuva". E não foi apenas o meu. Foi o meu e de mais um monte de gente, deu pra fazer muito bolinho de chuva.

Vou mostrar como se faz (ou não)...

Começa assim:

Esteja em casa, sem nada pra fazer, com sua irmã na internet batendo papo com um povo qualquer na internet.

Pega-se uma pimenta... Não isso não, essa é outra receita.

Parta para a cozinha e escute sua mãe chegando em casa. Mas não pense em chamá-la para ajudar. Isso não se faz, a não ser que você queira que ela faça o trabalho todo. E se é isso que você quer, esqueça o resto do texto. Mas, como eu te conheço, sei que você é um cara interessado na bela arte de encher a pança, continuaremos com nosso episódio de faça você mesmo. Lembrar de criar uma série sobre isso... Voltando!

Beleza, primeira coisa na cozinha: lave as mãos. Claro, ou você quer um "bolinho-de-chuva-ácida"?

Após a lavagem das mãos, pés, e todo o corpo, enxugue-se, coloque uma roupa e volte para a cozinha. Não era lá que estávamos? Então continuemos assim.

Pegue uma bacia média, do tamanho de uma metade de melancia, ou maior... você vai saber... e jogue lá dentro:

Quatro xícaras de farinha de trigo, ou então uns cinco copinhos daqueles pequenos que você enche de café. Mas não é pra por café, é farinha. E de trigo!

Depois você joga, ali no meio, uma xícara de açúcar. Enche a xícara pra não ficar sem, se quiser, bota uma pitadinha a mais, ou não. Ah você sabe o que está fazendo! Acho que sou o único que não sabia como fazer um bolinho de chuva, mas vamos até o final agora.

Coloca também uma xícara de manteiga. Eu coloquei margarina. Não deu problema. Nem lembro que marca era, então procure uma que está na geladeira, ou então em cima da mesa. Quando teu pai acabar de passar no pão você cata o pote.

O problema da xícara de manteiga, ou margarina, é o seguinte: colocá-la na xícara. Mas isso pra você não é problema. Talvez nem precise. Se souber quanto é, joga de uma vez.

Coloque agora, uma colher de pó Royal. É uma só! E não me questione sobre o motivo da quantidade. Não lembro muito bem o que o pó Royal faz numa receita. Nem lembro direito o que ele faz num nariz humano... mas isso não vem ao caso. Então, uma colher só.

Agora coloque quatro ovos. Mas cadê os ovos?! Sim, foi essa pergunta que me fiz quando percebi que eles não estavam em seu lugar de costume. Tive que perguntar minha irmã. Que ainda ficou me zoando porque eu não conseguia nem achar os ovos. Enfim, teste os ovos antes. Coloque um por um, no mesmo copo que você ta usando lá do começo. É uma forma de saber se está legal. Evita perder toda a receita por causa de um ovo podre.

Pronto, agora pega um colher de pau e começa a mexer essa bagunça. Depois de uns músculos a mais, a massa fica com aparência de massa mesmo. Bata mais um pouco e está quase pronto. Não coma assim porque não é legal. É gostoso, mas pode causar alguma reação adversa.

A massa está pronta!

Agora pegue uma panela, botija, lata, ou o que você achar melhor para fritar seus bolinhos. Coloque óleo até você achar que vai fazer “pluft” quando cair algo dentro. Use óleo limpo! Nada de mendigaria! Até agora você não gastou um centavo, tava tudo no armário da tua mãe. Então o óleo deve estar por perto.

Acenda o fogo. Do fogão, claro. Agora não é hora de usar nenhum de seus aditivos. Deixe o óleo esquentar até um ponto em que você ache que está quente. Nunca, eu repito e com caps lock: NUNCA coloque o dedo lá dentro para ver se está quente. Ou você vai esquecer o bolinho de chuva e pegar chuva para salvar seu bolinho de dedo.

Tá quente? Beleza. Agora pegue um pouco da massa, bem pouco, mais ou menos uma colher, e jogue dentro da fornalha. Não, seu louco! Fornalha foi apenas modo de falar! Jogue no óleo!

Deixe fritar e prepare-se para envenenar teu pai com seu primeiro bolinho de chuva. Ou, se quiser, prove você mesmo. Se estiver bom é só continuar fritando e comendo. Tem gente que coloca açúcar com canela num pratinho pra passar os bolinhos. Eu, sinceramente, não estou nem aí pra açúcar com canela.

Custo: pouco tempo, um pouco de paciência e, quem sabe, alguns centavos se tua irmã não disser onde estão os ovos.

Tempo de preparo: uma conversa inteira.

Rendimento: bastante coisa e ainda sobra.

Enfim, sejam felizes e esperem a próxima receita.

Post descaradamente inspirado no Deitando o Gato na Grelha. A não ser pela parte da receita. Lá é a casa do churrasco.

sexta-feira, março 12, 2010

Histórias da PH...

É isso aí, prezado leitor com abundante falta do que fazer.

Este post é para te apresentar a mais nova e revolucionária série deste blog.

Para os desatualizados, novidade: estou trabalhando.
Sim, e por isso estou um bom tempo sem postar nada aqui. Não só por isso, como você pode ver nesse post no meu outro blog. Mas esse é o motivo maior.
E, como todo emprego que se preze tem histórias, colocarei os contos que vejo ou fico sabendo por aqui. Ou seja, cerveja fofoca.

Bem, na verdade, não gosto muito desse termo. Então contarei as lendas do meu trabalho.

Como vocês nem sabiam que eu estava trabalhando, também não estão sabendo onde. Vou contar tudo. Senta aí e ouve.

Trabalho no prédio do Ministério da Fazenda, no RJ. Sou terceirizado, ou seja, trabalho em uma empresa que "aluga" os funcionários para o MF. Minha função, além de ficar olhando para o ar, é carregar papéis para lá e para cá. Na verdade, sou como um "office boy interno". Só trabalho dentro do prédio. Minha vizinha disse que eu trabalho como um dos estágiários do emprego dela. Mas o que tem a ver os estágiários de lá? Nada! Fato! Então voltemos a ideia original: comida. Não, não essa: meu "trabalho".

Como dizia, fico andando pra todos os cantos do prédio, mas sou "mensageiro" (ou contínuo, office boy, courrier, the hell...) de um setor específico, que não vem ao caso, pois todos os setores são iguais. Sempre fazemos as mesmas coisas. Então converso, ouço conversas, vejo coisas e etc...
E pra começar com o mexerico, vou falar sobre o Terror do Aviso Prévio.

Esses dias, mais precisamente ontem, vi muita gente chorando. Sério! Pessoas que não queriam ir embora e foram mandadas, estavam se acabando em lágrimas. Gente que queria ir embora e também foi, estava chorando de alegria. E tem até quem queria ir embora mas teve que ficar estava se derramando em lágrimas. Não, não é meu caso. Estou muito bem aqui. O travesseiro agradece.

Mas, com todo esse povo "metendo o pé", seja lá onde for, uma nuvem de tensão cobriu o prédiode mais de 60 anos. Algo quase pálpavel tomou conta da atmosfera. E todos se movimentam em silêncio, como fantasmas. O que mais se ouve pelas salas é "Você está de aviso?"

Pior foi o episódio de quinta:

Minha supervisora, que manda e desmanda, ou não, foi dar o Aviso a uma menina, recepcionista, faltosa e despreocupada. Com todo o cuidado, ela explicou o porquê da situação incomoda.
A menina olha pra ela e diz:
- Cintia, tá tranquilo. Eu já esperava isso. Mas tem um problema...
- Que problema?!
- Eu estou grávida!

Imagina isso! Agora a menina, mesmo não ligando para o emprego, não pode ser demitida. Vem um bebê por aí e ele será bancado pela empresa. Será necessário contratar outra pessoa para substituí-la. Coitada da Cintia. kkkkk

Mas, enfim. Post bom é post morto! Ou não... Mas esse aqui está de bom tamanho por hoje. Ainda mais que ele tá no forno tem uns 3 dias.

Vem mais pela frente, então esperem e vejam.

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Não Faça!

Enquanto a violência cresce, uma grande parte da população mundial se une com um só pensamento: Paz! Todos querem o fim das guerras, comida pra todo mundo, havaianas mais baratas, etc.

Mas algumas mães insistem em incentivar seus filhos a serem sanguinolentos e sádicos! Com aquelas cantigas infantis, que não passam de mensagens explicitas de apologia ao crime, elas fazem com que seus filhos durmam e sonhem com um mundo onde o Boi da Cara Preta, vulgo Bicho Feio e Bobo, é o mestre de suas pequenas vidas.

Mas (mais um "mas"...) nem tudo está perdido. Podemos inverter esse jogo. Mostro-vos algo que muito me tocou. Um vídeo, feito pela minha amiga Thalita, mostra aos baixinhos e altinhos como devemos amar os próximos e distantes.

Lutemos pois pela paz!

Chame as crianças para a sala e dê o play no vídeo abaixo:

quarta-feira, fevereiro 03, 2010

Rap em Quadrinhos

Esse post é especial para os manos que curtem rap nacional, ou quadrinhos, ou os dois.

Tava navegando na net quando encontrei isso aqui no "JC Na Veia". Os caras do "Portal Rap Nacional" fizeram um trabalho show que mistura quadrinhos e Rap. Dá uma olhada no estilo:



























Então, vai lá e vê as revistas que ainda vêm com trilha sonora: "
Arquivo de HQ's du Rap"

terça-feira, janeiro 26, 2010

Só com o Brasil!

De volta, por enquanto...
























E eu crente crente que ia ver as olimpíadas...

quarta-feira, janeiro 20, 2010

(Re)Opening

Sim, reopening. Pra quem não sabe, tempos atrás, na época que eu não tinha muita coisa pra fazer, circunstância que se repete ultimamente, havia um blog.

Seu nome era Papai Noel de Cueca Azul. Um blog humorístico, algumas vezes com assuntos interessantes. Outros nem tanto. Mas, enfim, era o meu blog. Trabalhei para melhorá-lo. E consegui. Tanto que seus acessos aumentavam!

Mas um dia, apenas um, o servidor extingüiu-se. (Tremas ainda são usadas?!)
Fiquei sem meu "brogui", sem meus contatos "broguistícos", sem quase nada. Mas ainda tinha meu orkut. Grandes coisas!
Enfim, isso aqui não é pra chorar a morte do primeiro St. Claus. É para celebrar o nascimento do Jr. \o/

Então esperem mais pela frente. Riam quando puderem. E quando lhes for solicitado. Não quero saber de baderna na minha área. Não muita.

Aproveitem e visitem meu outro blog: Eis Que Te Falo!

Té mais.